terça-feira, 21 de março de 2023

Educação do campo é discutida com jovens de diversas cidades maranhenses

Ações concretas para o fortalecimento da educação do campo no estado do Maranhão foram discutidas, na última semana, pelo Governo do Estado e um grupo de jovens do Movimento Sem Terra (MST Jovem), no auditório da Secretaria de Estado da Educação (Seduc). Na pauta, a formação de professores, infraestrutura das escolas do campo e ações pedagógicas. 

Participaram estudantes e educadores das regiões de Itapecuru, Açailândia, Médio Mearim, Mearim, Presidente Vargas, entre outras. Pelo governo, dialogou com os alunos o subsecretário de Estado da Educação, Danilo Moreira, representando o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão; o secretário adjunto de Suporte ao Sistema Educacional, Anderson Lindoso; a secretária adjunta de Ensino, Nádya Dutra, e a supervisora de Educação do Campo, Clênia de Jesus Pereira dos Santos. 

“O governo Flávio Dino tem uma agenda permanente de diálogo com os movimentos sociais, discutindo de forma transparente as ações que vêm sendo desenvolvidas, respeitando as diversidades educacionais. Paralelo a isso, a atual gestão vem investindo fortemente na educação como a reconstrução de 63 unidades escolares e a substituição das escolas de taipa por estruturas de alvenaria, com a primeira já entregue na zona rural de Fortaleza dos Nogueiras”, destacou Danilo Moreira. 

Nádya Dutra ressaltou que a Seduc está construindo uma política de educação para o campo e que, para isso, reunirá com os movimentos sociais em um seminário previsto para o dia 25 do próximo mês. “Com a ampla participação da sociedade civil organizada discutiremos a minuta de implementação dessa política, que será um passo fundamental rumo a uma educação de qualidade no campo”, acrescentou. 

Após o diálogo com os jovens do MST, foi definida a realização de reuniões de trabalho com a participação de gestores da Seduc e do movimento, no sentido de atender as demandas educacionais referentes ao campo. 

Para Aldenir Gomes, da liderança do Coletivo de Jovem, esses encontros representam avanços para a pauta da educação do campo. “Conseguimos avançar com a criação desses grupos de trabalho para concretizar muitas questões da nossa pauta”, disse. 

Andreia Ribeiro, estudante de Açailândia, também avaliou como positivo o encontro na Seduc. “A reunião foi uma oportunidade para discutirmos bem cada demanda e avançarmos na melhoria da educação do campo”, pontuou.

– Publicidade –

Outros destaques