sexta-feira, 14 de maio de 2021

Jovem de 19 anos deixa rastro de violência antes de ser preso em São Luís

Jovem de 19 anos deixa rastro de violência antes de ser preso em São Luís

Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Após investigações, a Polícia Civil, através da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), identificou o rastro de violência deixado por Jackson Matos dos Santos, de 19 anos.

O rapaz foi preso semana passada após fazer duas pessoas de refém em uma casa no bairro da Cidade Operária, mas ele já tinha cometido duas tentativas de latrocínio antes de ser preso.

O primeiro crime de Jackson foi em maio deste ano, quando ele seria o homem que atirou no empresário Otávio Ribeiro, no dia 5, em tentativa de latrocínio, no bairro do Anil.

A vítima do crime, após ter entregue os pertences, foi alvejada com um tiro no rosto. Além desse brutal crime, o mesmo suspeito também deixou mais rastros de violência na Cidade Operária, na última semana.

Jackson Matos, além do caso do empresário, deixou um rastro de sangue e violência na última semana.

Ele que é morador do bairro da Cidade Olímpica, cometeu vários crimes seguidos na Cidade Operária. No dia 12 de junho, última terça-feira, Jackson assaltou uma mulher identificada como Gilvonete Barros Almeida.

Ao tentar tomar a moto da vítima, ela teria reagido e o rapaz atirou no abdômen dela. Gilvonete foi socorrida e encaminhada ao Hospital Clementino Moura. o Socorrão II.

Durante a fuga, Jackson invadiu a casa de Maria Luíza Diniz Carvalho, de 80 anos, quando a idosa abria a porta para um vizinho.

O vizinho foi identificado como Felipe Cardoso Neto, de 45 anos, que entrou em luta corporal com Jackson.

O suspeito arrancou 70% de umas das orelhas de Felipe a mordidas, sendo que a outra orelha também lesionada, mas foi reconstituída. Após negociações, Jackson liberou a idosa de 80 anos do cárcere privado. Atualmente ele se encontra preso em uma unidade do Sistema Prisional do Maranhão.

– Publicidade –

Outros destaques