Mapeamento do Centro Histórico

O Governo do Maranhão está coletando  informações de prédios públicos e privados e equipamentos urbanos existentes na região para criar condições que resultem na requalificação de imóveis ociosos e degradados, para uso habitacional.


Governo inicia mapeamento de prédios públicos e privados na região central de São Luís (Foto: Alexandre Maurício/Agência São Luís)

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria das Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid) inicio nesta semana a 1ª etapa do Programa Habitar no Centro. Essa fase consiste na coleta de informações de prédios públicos e privados e equipamentos urbanos existentes na área que abrange o Programa.

O objetivo desta etapa é estruturar um banco de dados que possa subsidiar projetos de habitações e investimentos, e ainda mapear toda área que envolve os polos da Rua Rio Branco e Desterro. A pesquisa será realizada por meio de questionários, registros e imagens aéreas.

Na primeira fase do Programa, serão consideradas como áreas prioritárias, o bairro do Desterro, na Praia Grande, incluído no perímetro do Conjunto Arquitetônico e Paisagístico da Cidade de São Luís, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), em 1974. Também será contemplado o eixo da Rua Rio Branco e quadras adjacentes, entre as praças Deodoro e Gonçalves Dias.

É por meio do Habitar no Centro que o Governo do Maranhão quer criar condições que resultem na requalificação de imóveis ociosos e degradados, para uso habitacional. “A estratégia é unir esforços, parcerias e implementar políticas públicas para apoiar e manter e, sobretudo, criar atrativos que visem o resgate da dinâmica econômica e cultural do local”, declarou o secretário da pasta, Rubens Pereira Júnior.

Para incentivar a pesquisa e extensão, bem como aproximar a academia ao Programa, a Secid fez parceria com a Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Universidade Dom Bosco (UNDB), Pitagoras e Universidade de Campinas (Unicamp). Assim, possibilita a participação de professores,  alunos  de graduação, mestrado e doutorado nas ações do programa.

“A principal função da pesquisa é o retorno que ela traz para sociedade. Um trabalho dessa envergadura, que é focado na requalificação de um área urbana conflituosa é de extrema importância. A Secid vai propor uma ação de reordenamento  em parceria com as universidades para atender a demanda que a sociedade precisa resolver, isso é inclusão social”, relata o professor do curso de Geografia da Universidade Estadual do Maranhão, Cláudio Eduardo.

“Esta experiência de revitalizar um local rico em história e cultura  será muito gratificantes e agregará conhecimento a minha pesquisa de doutorado sobre São Luis” declara Livia Antipon, doutoranda em geografia pela Unicamp.