terça-feira, 31 de janeiro de 2023

Zico presidente da Fifa? “Quem sabe”, disse o craque em rede social

Da Espn

Horas depois de Joseph Blatter renunciar ao cargo de presidente da Fifa, um importante nome do futebol mundial manifestou certo desejo de ocupar a vaga. Na noite desta terça-feira, ninguém menos do que Zico manifestou-se sobre o assunto e, em contato com a reportagem do ESPN.com.br, tratou a ideia da candidatura como ‘uma possibilidade real’. 

 

“É, por que, não? Agora a possibilidade pode ser real, pois antes era impossível como é na CBF e em outras confederações e federações pelo mundo”, respondeu o eterno camisa 10 da Gávea.

 

Sem o suíço, Zico acha que agora o caminho ficou aberto, ao contrário da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), presidida atualmente por Marco Polo Del Nero. “Lá (CBF), é impossível, assim como em outras federações e confederações”, repetiu o agora possível candidato à presidência da Fifa, ainda em conversa com a reportagem.

 

Zico está em Berlim, na Alemanha, para acompanhar a decisão da Champions League, entre Barcelona e Juventus, no sábado. Amigo de Michel Platini, presidente da Uefa, Zico negou, quando foi questionado pelo ESPN.com.br, que já esteja recebendo o apoio do francês em uma possível candidatura, pelo menos por enquanto.

 

A ‘possibilidade real’ descrita por Zico passa exclusivamente pela saída de Joseph Blatter. Nesta terça-feira, quatro dias depois de ser reeleito para o quinto mandado na presidência da Fifa, o suíço abandonou o cargo sem maiores justificativas. Toda a crise que culminou na renúncia ocorre após denúncias do FBI sobre a corrupção na entidade máxima do futebol mundial.

 

Em seu Facebook oficial, o ex-jogador também comentou sobre o assunto: “Por que não? Minha vida sempre foi dentro do futebol. Uma paixão que exerci com seriedade e respeito no Brasil e em outros países. Jantando com Sandra pensei nisso. Minha mulher e meus filhos me apoiaram”, escreveu o ‘Galinho’, que se apega a experiências anteriores para manifestar o desejo de ocupar o cargo mais desejado da política do futebol mundial.

 

“Fui Ministro dos Esportes, tenho experiência com meu clube e no apoio ao Kashima, ao Japão. Penso no futebol acima da política. Não tenho apoio ainda, mas se é aberto eu posso me candidatar à Fifa. Ainda é uma idéia… Quem sabe?”, escreveu.

– Publicidade –

Outros destaques