sábado, 13 de julho de 2024

HSE encerra campanha com palestra e roda de conversa para colaboradores

Com o slogan “Previna-se: O seu cuidado de hoje será o reflexo da sua saúde amanhã”, o NEP / Núcleo de Educação Permanente do Hospital do Servidor Estadual (HSE/HSLZ) promoveu ao longo do mês de outubro uma ampla campanha de conscientização sobre a prevenção do câncer de mama, dentro da agenda do Outubro Rosa, com diversas ações realizadas junto a pacientes, acompanhantes e colaboradores.

Destaque para a palestra, seguida de roda de conversa, da médica mastologista do HSE/HSLZ Dra. Yara Senna Brandão. O evento foi voltado para colaboradores de todos os sexos, uma vez que o câncer de mama também atinge o público masculino. Com o tema “Mitos e Verdades sobre o Câncer de Mama” a médica tirou dúvidas e deu dicas de como fazer uma prevenção adequada da doença.

A Dra. Yara destacou que os principais fatores de risco da doença são: Obesidade, mulheres que nunca engravidaram, bebidas alcóolicas, fatores genéticos, menopausa tardia (mais de de 55 anos), reposição hormonal e anticoncepcionais e primeira menstruação precoce (11 anos ou menos). E lembrou que apenas de 5 a 10% dos casos da doença são de origem genética e hereditária; e que a amamentação, assim como uma alimentação saudável e a prática de atividades físicas são fatores de proteção contra a doença.

Para prevenir a doença é imprescindível a realização da mamografia e ultrassonografia das mamas anualmente à partir dos 40 anos. E antes dessa idade, em casos especiais, como fatores hereditários.

A médica do HSE / HSLZ tirou dúvidas comuns entre as mulheres adultas, como por exemplo casos de mastalgia (dor na mama). Ela explicou que é uma condição benigna e muito frequente, e que não está relacionada ao câncer de mama ou outras doenças. Mas acontece por inflamação do tecido mamário glandular. E quase sempre é mais intensa em uma das mamas. A causa está relacionada a fatores múltiplos: Stress, TPM, sedentarismo, alimentação inadequada e medicamentos (em especial hormonais). O tratamento pode se dar com uso de anti-inflamatórios; mudança de hábitos; compressas frias e medicamentos específicos a serem receitados pelo(a) médico(a).

Sobre os nódulos mamários, comuns em muitas mulheres, a mastologista explicou que a maioria deles são benignos, mas todos precisam ser investigados por um(a) mastologista, assim como realizar exames como mamografia e ultrassonografia da mama, além de uma biópsia se o médico achar necessário. Somente o autoexame das mamas não é suficiente nesse tipo de diagnóstico. Em casos de nódulos benignos e pequenos, geralmente é indicado o acompanhamento médico a cada seis meses.

Na palestra foram apontados os principais Mitos do Câncer de Mama: Mamografia não prejudica a saúde, ao contrário, salva vidas. Desodorante não causa câncer. Sutiãs não causam doenças, independente da cor ou modelo. Também foram abordados os diversos tipos de tratamento existentes para os casos de câncer de mama, que quando diagnosticados em estágios iniciais, possuem grandes chances de cura.

“Após o tratamento do câncer de mama, é possível ter uma vida normal e plena. Trouxemos exemplos de várias mulheres famosas que venceram a doença e continuaram suas vidas de forma bem produtiva” destacou a mastologista do HSE /HSLZ DRa. Yara Sena Brandão.

O objetivo maior dessa campanha do HSE e da palestra seguida da roda de conversa foi reforçar a relevância do diagnóstico precoce dessa, que é uma das doenças que mais acometem mulheres em todo o mundo. E nessa guerra contra o câncer de mama, informação é uma arma super poderosa, assim como o tempo. Quanto antes for diagnóstico, mais garantida a cura.

– Publicidade –

Outros destaques