terça-feira, 3 de agosto de 2021

NFT: O novo mercado milionário da internet

Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin


Se você se considera uma pessoa viciada em internet, com certeza já deve ter ouvido falar sobre o NFT. Mas afinal, o que é um NFT?

NFT é uma sigla para “Non-fungible Token” que, em tradução livre, seria algo como “Token não-fungível”. A chave para entender o que são NFTs e sua aplicação está na ideia de um bem ser ou não fungível. Em economia, bens desse tipo são aqueles que não são únicos e são intercambiáveis: uma moeda de R$ 1 é um bem fungível porque, se você trocá-la por outra, você continua com R$ 1.

Agora imagine uma obra de arte valiosíssima: ela é única e é cobiçada por colecionadores e museus do mundo todo. Se você tem um quadro famoso e o troca por outro, o resultado da operação não é mais de equivalência como no caso da troca da moeda. Obras de arte são, portanto, exemplos de bens não-fungíveis: ao trocar um pelo outro, você acaba com um resultado diferente da sua posição de saída, já que a nova pintura nunca será igual à obra pela qual você trocou.

Para leigos, o NFT é o equivalente a uma escritura que você recebe quando compra um imóvel. Na escritura contém todas as informações deste imóvel (quantos cômodos, metragem, garagem etc). Você só tem a posse do imóvel se tiver a escritura. Sendo que na escritura não tem o ‘imóvel em si – nem mesmo foto dele’, tem apenas a descrição detalhada do que você comprou.

Vamos para alguns exemplos para você entender melhor?

O artista WhIsBe vendeu uma animação de 16 segundos de um urso dourado em NTF por 1 milhão de dólares na Nifty Gateway. Jack Dorsey, CEO do Twitter, vendeu seu primeiro tweet como NFT por 2,9 milhões de dólares. A famosa arte do Nyan Cat, conhecida como o meme do gatinho voador, foi vendida como NFT por 300 ETH, o equivalente hoje a mais de 700 mil dólares. O artista Beeple vendeu sua arte de colagem de imagens chamada “Everydays: the First 5000 Days” em NFT por 69,3 milhões de dólares na Christie’s, entrando no rol de uma das artes mais caras de um artista vivo já vendida.

Recentemente o famoso meme da menina observando uma casa em chamas foi vendido por US$ 473 mil. Dá pra imaginar?

Tá, mas o que pode ser considerado de fato um NFT? Os NFTs suportam tanto o registro de bens imateriais, como GIFs, tweets, memes, obras de artes digitais, músicas, dentre outros, quanto a representação de bens materiais, como telas de pinturas, automóveis, imóveis, etc., tornando os bens digitalmente únicos e guardados de forma segura com sua integridade e originalidade preservadas.

Quando uma pessoa obtém um NFT sobre qualquer dos ativos listados acima, ela detém, consequentemente, o registro de propriedade deste ativo, relacionado a direitos patrimoniais. Esse registro é realizado por meio de blockchain – como mencionado acima –, mediante criação de uma assinatura digital exclusiva. Assim, sua falsificação faz-se impraticável, trazendo um claro benefício do ponto de vista de proteção intelectual, além de valorizar a propriedade como um ativo mais seguro. 

Quer entender mais sobre esse mercado dos sonhos? Confira o link a seguir.

https://musicnonstop.uol.com.br/nft-musica-o-que-voce-precisa-saber/



Com informações da TECHTUDO E TECMUNDO

– Publicidade –

Outras publicações