sábado, 13 de julho de 2024

Remédios ficaram 6,6% mais caros em maio, aponta pesquisa

O estudo envolve os remédios mais procurados, pertencentes a nove grupos diferentes e comercializados em seis grandes redes farmacêuticas.

Os remédios ficaram 6,6% mais caros em maio deste ano em relação ao mês anterior. O levantamento foi feito pela Precifica, empresa especializada em estratégias de precificação. O estudo envolve os remédios mais procurados, pertencentes a nove grupos diferentes e comercializados em seis grandes redes farmacêuticas com atuação no e-commerce. Os antigripais registraram um aumento de 21,76% nos preços na variação mensal de maio, após queda de 14,36% no mês anterior. Os antialérgicos também apresentaram alta, com um avanço de 13,18%, enquanto os anticoncepcionais subiram 7,31%. O único grupo que apresentou queda no período foi o de antiparasitas, com um recuo de 34,04%.

De acordo com especialistas, alguns fatores explicam o aumento dos preços dos medicamentos, como a mudança no clima e a maior incidência de chuvas e o repasse de preços das fábricas. O presidente da Precifica, Ricardo Ramos, comunicou que os preços podem variar em regiões dentro da mesma cidade. Segundo ele, isso acontece porque diversos fatores influenciam a demanda, tais como: mudança climática, questões sanitárias, tempo de entrega e acesso a redes hospitalares públicas.

– Publicidade –

Outros destaques